Chinesa em visita à Amazônia. Foto: Divulgação Embratur

O Diário Oficial da União desta segunda-feira (5) publica edital do Ministério do Turismo para a seleção de agências de viagem interessadas em receber turistas chineses no Brasil (ACESSE AQUI). O processo seletivo, com inscrições abertas até o dia 14 de dezembro, é fruto de um Memorando de Entendimento firmado em 2004 com a China. O texto prevê a designação ou recomendação de empresas de turismo nacionais que façam o receptivo de grupos chineses em destinos brasileiros.

Entre as exigências para se habilitar, estão: a regularização junto ao Cadastur, o cadastro nacional do MTur que reúne pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor, a declaração de ciência dos termos do acordo assinado entre as duas nações e o aceite do Termo de Responsabilidade contido no edital. No Brasil, o Ministério é o único órgão responsável por esta seleção e somente empresas autorizadas pela Pasta poderão atender turistas chineses.

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, observa que a chamada pública se soma a outras ações voltadas à atração de viajantes do país asiático. “Temos defendido a extensão do visto eletrônico aos chineses, medida que já se mostrou bastante eficaz para a chegada de americanos, australianos, canadenses e japoneses ao Brasil. O viajante chinês é o que mais percorre o planeta, segundo a Organização Mundial do Turismo, e precisamos trabalhar para despertar cada vez mais o interesse deles pelo destino Brasil”, defende.

No ano passado, 83 agências obtiveram o credenciamento. O resultado da seleção será divulgado no dia 21 de dezembro no Diário Oficial da União e no site do MTur.

COOPERAÇÃO - Em setembro de 2017, a China firmou um acordo para a facilitação de vistos com o Brasil. O acerto definiu um prazo de validade de cinco anos às autorizações de turismo, permitindo múltiplas entradas e um período de estada de 90 dias, renováveis por até outros 90, a cada 12 meses. Antes do acordo, cujas regras começaram a valer no dia 1º de outubro do ano passado, o visto geralmente era aceito por três meses.

Já em maio deste ano, o governo brasileiro e a China Travel Service, maior operadora de turismo daquele país, acertaram uma parceria inédita para a estruturação de roteiros customizados, que ampliem a presença dos asiáticos no Brasil. O MTur atua junto a outros países da América Latina para aprimorar a experiência de chineses na região, a exemplo do trabalho conjunto com a Argentina pela promoção das Cataratas do Iguaçu.