O Prêmio Nacional do Turismo 2018, entregue na noite desta quarta-feira (5) em cerimônia na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, consagrou sete iniciativas que contribuem para o fortalecimento do mercado de Viagens no Brasil. As ações, selecionadas entre 208 propostas habilitadas de acordo com as regras do edital, foram cadastradas por instituições públicas, privadas e do terceiro setor de todo o país e submetidas à análise de uma comissão julgadora composta por membros do Ministério do Turismo e do Conselho Nacional de Turismo (CNT).

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, observou que a premiação incentiva a busca por inovações na área. “Nós queremos uma agenda de atração de investimentos ao país, de negócios, e o mundo inteiro quer investir no Brasil. É preciso abrir o Brasil para o mundo, criar uma nova narrativa do nosso país lá fora, que o turismo pode contar. E os vencedores do Prêmio estão sendo reconhecidos por isso. Homenageamos pessoas que geram emprego e renda e que podem servir de exemplo”, elogiou.

Na categoria Inovação Tecnológica, o destaque foi o Voucher Digital de Barreirinhas (MA), porta de entrada dos Lençóis Maranhenses. O sistema utiliza pulseiras eletrônicas, entregues a visitantes por agências de turismo credenciadas, que monitoram atrativos procurados na região e subsidiam gestores públicos com estatísticas. Representando a Prefeitura Municipal, Albérico Filho citou benefícios do trabalho. “Isso permite monitorar visitas e garante um controle efetivo da nossa parte ecológica”, frisou.

Já o Plano de Desenvolvimento de Passageiros RIOgaleão, concessionária que administra o Aeroporto Internacional Tom Jobim, venceu no quesito Marketing e Apoio à Comercialização. A iniciativa estimula o fluxo de turistas a partir de marketing estratégico, dando suporte à criação de novas rotas e à atração de empresas. Bruno Reis, gerente da empresa, considerou simbólica a premiação. “Foram premiadas não só iniciativas do aeroporto, mas a percepção da chegada de um novo player à cadeia produtiva”, avaliou.

Na categoria Monitoramento e Avaliação, o destaque ficou com o Programa de Otimização de Performance da Secretaria de Cultura e Turismo de Salvador. Lançado em 2017, o sistema proporciona o monitoramento online de opiniões públicas sobre equipamentos da área postadas em sites de avaliação de viajantes. Claudio Tinoco, titular da Secretaria, apontou a relação com visitantes como diferencial. “É uma forma de interagir diretamente com turistas e melhorar nossos serviços”, sublinhou.

O Projeto Verena, por sua vez, do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Norte, levou o título de Qualificação e Formalização. O programa promove o intercâmbio entre o estado e o governo alemão, contribuindo para a adoção de processos inovadores de capacitação. Marcelo de Queiroz, presidente do Conselho Regional do Senac-RN, destacou avanços da troca de experiências. “A parceria leva informações aos municípios, com acompanhamento permanente de técnicos alemães”, relatou.

Já a categoria Turismo de Base Local e Produção Associada reconheceu a operadora Vivejar, que oferece oportunidades de turismo responsável e de base comunitária em parceria com comunidades tradicionais do país. O objetivo é desenvolver ações transformadoras, como a qualificação de moradores. A fundadora da Vivejar, Marianne Costa, enalteceu a união de esforços. “Esse prêmio é de todas as comunidades com as quais trabalhamos. O objetivo é jogar luz nesse Brasil diverso e inclusivo”, resumiu.

Na categoria Turismo Social, o vencedor foi o projeto Acessibilidade como Fator de Inclusão, desenvolvido pelo Terra dos Sonhos Empreendimentos Turísticos, de Socorro (SP). No Hotel Fazenda, construído com a reutilização de contêineres, unidades e passeios são adaptados a pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. O proprietário José Fernandes defendeu empenho por melhorias no atendimento. “Pessoas com deficiência realmente viajam e buscam produtos neste segmento”, enfatizou.

Já a segunda etapa do Cais do Sertão - Museu Luiz Gonzaga, no Porto de Recife, levou o prêmio na categoria Valorização do Patrimônio. Parte integrante da revitalização do Centro Antigo da capital pernambucana, o local busca reverenciar a cultura nordestina, articulando parcerias culturais e educacionais. O vice-presidente da Empresa de Turismo da cidade, Ciro Couceiro, comemorou a homenagem. “É uma honra Pernambuco receber um prêmio por valorizar o turismo através de uma cultura grandiosa”, declarou.

Os vencedores foram selecionados após avaliação meritória e eliminatória da comissão julgadora a partir da classificação de três finalistas por categoria da premiação. As iniciativas que avançaram cumpriram critérios como terem sido criadas especificamente para o setor turístico e implementadas há menos de 24 meses. A análise considerou ainda a apresentação de resultados obtidos pela mensuração de impactos diretos ou indiretos.

SOBRE O PRÊMIO – O 1º Prêmio Nacional do Turismo, iniciativa do Ministério do Turismo, tem por objetivo identificar, reconhecer, premiar e disseminar iniciativas, práticas inovadoras e casos de sucesso relacionados aos setores público e privado e ao terceiro setor do turismo brasileiro. Além de projetos, foram condecorados também profissionais que tenham atuado de maneira criativa, inovadora e proativa em prol do desenvolvimento do turismo no país.

A premiação possui caráter simbólico, sem valor comercial ou financeiro, e é concedida na forma de troféus, entregues aos primeiros colocados de cada modalidade, e certificados, conferidos aos finalistas.

Além das iniciativas, profissionais e líderes do setor foram indicados pelas entidades do Conselho Nacional do Turismo e eleitos por votação popular, por meio da internet. Já as medalhas das menções honrosas foram concedidas a personalidades indicadas pelo ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Os profissionais selecionados para participar da disputa concorreram nas seguintes categorias: Academia, Iniciativa Privada, ONGs, Governo e Imprensa/Mídias Sociais. CLIQUE AQUI PARA CONHECER OS PROFISSIONAIS VENCEDORES.